Educação Financeira, Finanças, Investimentos

Como começar a investir?

Começar a investir não é tão difícil quanto parece, mas exige um conhecimento mínimo e principalmente um bom planejamento. Os primeiros passos para entrar no mundo dos investimentos nem é necessariamente a alocação do recurso na corretora, mas sim a organização e a definição de como você fará isso.

Nesse post mostro o que você precisará fazer para começar a investir.

1. Organize suas finanças. Você precisa saber tudo que recebe e tudo o que gasta.

Antes de qualquer decisão a respeito das suas finanças você precisa primeiro saber como está a sua saúde financeira. Você não precisa necessariamente entender tudo de planilhas e fórmulas. A planilha é apenas uma das ferramentas que pode te ajudar a ter essa visão das suas finanças. O importante é você ter algum método de registro do seu custo de vida para mapear para onde está indo seu dinheiro. Você precisa saber quanto gasta em cada área da sua vida para saber se está gastando bem e com o que é realmente importante para você.

2. Tenha objetivos específicos e com prazo definidos para serem realizados.

Para escolher qual o melhor investimento é preciso saber para que e quando você precisará resgatar esse investimento. Não adianta você colocar R$4.000,00 para suas férias que ocorrerão daqui a 6 meses em um investimento, que apesar de possuir uma rentabilidade boa, exige que o dinheiro permaneça aplicado por 2 anos. Da mesma forma que você não deve colocar os investimentos referente a sua reserva de emergência em ações e correr o risco de quando precisar do dinheiro dar o azar de ser bem num dia que a Bolsa está em queda e ser obrigado a resgatar o dinheiro assumindo uma perda do valor aplicado. Por isso é essencial que antes de definir onde colocar seus investimentos você tenha objetivos bem definidos, pois a escolha se dará, principalmente, em função do motivo e do prazo que você necessita.

3. Adquira o hábito de economizar, principalmente nos pequenos gastos do dia a dia.

Já ouviu aquela teoria de que se você tem uma nota de R$50,00 na carteira ela dura mais do que se você tiver 5 notas de $10,00? Então, é exatamente sobre isso que esse tópico diz respeito. Os gastos pequenos do dia a dia acabam passando despercebidos porque a gente acha que como o valor é pequeno não vai fazer falta. É igual quando sabotamos a dieta falando “mas é só um bombom de sobremesa” só que você come um bombom por dia e não faz exercícios a mais na academia por conta desse deslize. Nas finanças é a mesma coisa. Se você gasta 5 reais por dia com bobeirinhas, de segunda a sexta já seriam R$ 25,00, no mês R$ 100,00. E ai, você fez uma renda extra de R$ 100,00? Quando você precisa pagar uma conta de R$ 100,00 você “chora” reclamando que está caro e não tem esse valor pra pagar? Ou quantas vezes você acabou adiando a compra de alguma coisa que você queria porque não tinha os R$100,00 disponíveis no mês? Se você já organizou suas contas, sabe quanto recebe, sabe quanto é seu custo de vida e já possui seus objetivos financeiros definidos você sabe que essa pequena mudança de hábito vale a pena!

4. Comece pela sua reserva de emergência. Além de ser o mais importante, é o mais simples para se começar. A partir do momento que der o primeiro passo, você começa a perder o medo e ter mais curiosidade sobre o assunto.

Na minha opinião, o primeiro investimento de qualquer pessoa deve ser a reserva de emergência. Usando a mesma lógica lá do tópico 2 (sobre objetivos e prazos), se você investir todo o dinheiro que tem em um objetivo específico para daqui 5 anos, por exemplo, sem possuir uma reserva de emergência, e acontecer algum imprevisto na sua vida que necessite desse dinheiro, você terá as seguintes alternativas: 1) dependendo do tipo de investimento que fez você não poderá fazer o resgate, e então terá que fazer um empréstimo com juros altíssimos e que provavelmente será superior ao rendimento do seu dinheiro investido; ou 2) até consegue resgatar, mas terá que aceitar uma possível perda de dinheiro.  Então o primeiro passo sempre é começar investindo na construção da sua reserva de emergência. Outro ponto favorável também é que dessa forma é possível você esperar acumular um valor um pouco maior na reserva para ter acesso a investimentos com maior rentabilidade depois.

5. Estude. Ninguém melhor que você para interpretar seus objetivos e escolher a melhor opção no mercado de investimentos.

O dinheiro que você possui para investir foi uma conquista sua. Do seu trabalho, do seu esforço e dedicação. Seus objetivos com os investimento também refletem algo que você deseja, muito particular e peculiar de cada pessoa. Então você sempre será a melhor pessoa para escolher o que vai fazer com esse dinheiro. Agora, para fazer isso de forma correta você precisa ter um pouco de conhecimento sobre o assunto. Você não precisa saber de tudo e estar o tempo todo atualizado do mundo financeiro, mas precisa conhecer o básico para entender como as coisas funcionam, para não ser passado pra trás, para poder acompanhar o rendimento do seu dinheiro e até mesmo para saber onde buscar ajuda quando for necessário.

💡 Posts interessantes pra você:  Investimentos em Renda Fixa/ Como reduzir seus gastos

📬 Assine a newsletter do blog e receba as atualizações no seu e-mail. 😉

Leave a Reply

Theme by Anders Norén

%d blogueiros gostam disto: